Connect with us

ARTIGOS

Christiane Torloni perdeu filho e reviveu drama em filme de Chico Xavier

Published

on

christiane torloni e filhos

Quem acompanhou o papel de Christiane Torloni como Diná na novela A Viagem não imaginava que poucos anos antes — no início da década de 90 — ela tinha perdido um filho de 12 anos, de acidente. Em seguida, viveu o mesmo drama no cinema, interpretando Glória no filme da vida de Chico Xavier (dirigido por Daniel Filho), que conseguiu uma carta psicografada do médium mineiro, mesmo a contragosto do marido Orlando (interpretado por Tony Ramos).

Drama de Christiane Torloni, que perdeu um filho em acidente de carro

Guilherme tinha 12 anos quando não resistiu aos ferimentos de acidente de carro, onde estava com Christiane Torloni e o irmão Leonardo. Em seguida, ela se mudou para Portugal.

‘Você se desfaz emocionalmente. Você pira mesmo. Então, assim, foi muito importante naquele momento o resguardo. Então nos fomos tentar juntar as nossas pecinhas, tentar ficar mais juntinhos’, contou em entrevista a Pedro Bial.

Telefonema de Carlos Vereza

O ator espírita Carlos Vereza ligou para a colega de trabalho e disse que tinha uma mensagem de Guilherme, que ele estava bem. ‘A gente abre o coração da gente, por que eu acho que nem todas as pessoas, dentro do seu desespero, se permitem ouvir nessa hora. E tem sempre alguém que vai trazer uma mensagem, e pode ser uma pessoa muito inesperada’.

Ou seja, precisamos estar atento as sinais que a Espiritualidade nos dá. Assim, abrimos o nosso coração para receber a vibração do conforto. Em seguida, da aceitação, do início do processo de cura.

Aceitar ajuda para evitar qualquer atitude impensada

Em outras palavras, o apoio é mais do que fundamental para evitar a prática de qualquer atitude impensada. Afinal, estamos falando sobre uma dor indescritível, capaz de abalar emocionalmente de tal forma, que todos os sentidos perdem a consciência e a racionalidade.

Em conclusão, o luto precisa ser vivido. Pois nem sempre é o momento de ser forte. Assim, com o coração aberto à ajuda, não só espiritual, mas também de familiares e amigos, passamos a resgatar nossa forças, com uma visão totalmente diferente sobre dor e eternidade.

Continuar Leitura
Advertisement

Facebook

Mais acessadas