Connect with us

ARTIGOS

‘Tenho ciúmes mesmo’. O que fazer para melhorar?

Published

on

'Tenho ciúmes mesmo'. O que fazer para melhorar?

O que fazer para melhorar quando o sentimento de posse sobre alguém parece ser maior do que possamos controlar? ‘Tenho ciúmes mesmo’: essa afirmação diz muito sobre quem diz.

‘O ciúme é um sentimento perturbador que aflige a maioria das criaturas e alcança algumas outras espécies animais. Trata-se de uma emoção que se deriva do medo de perder-se a pessoa amada ou os objetos, posições e relacionamentos conseguidos ao longo da existência. É muito variável o seu grau de manifestação, apresentando-se de maneira sutil e simples até os casos mais graves de transtorno psicológico e mesmo mental, quando se transforma em fixação patológica’, explica o médium Divaldo Franco.

Ou seja, quando esquecemos de nós mesmos para condicionar a nossa felicidade ao externo, principalmente a pessoas que amamos tanto, a situação se agrava.

Por isso, a necessidade de compreender que cercear a vida de outro com o receio de ‘perder’, de ‘deixar de ser importante’, apenas vai afastar ainda mais quem ‘amamos’.

Amar é deixar livre

Nenhum sentimento de posse, assim como uma borboleta só é bela no jardim pois ela é livre, ‘segura relacionamento‘. Qualquer união sadia é de duas pessoas que primeiramente se amam interiormente.

Portanto, o desequilíbrio – um ama mais o outro do que a si mesmo – causa diversas situações desagradáveis no relacionamento e se perde os sonhos interiores e até mesmo o do casal.

Ninguém completa ninguém

O outro nos acrescenta, mas nunca completa. Somos completo por natureza, vivendo com o combustível dos nossos sonhos. Por isso a necessidade de cada um viver seus próprios sonhos como base.

Entretanto, e após essa primeira etapa, se vive de maneira sólida os sonhos do casal. Mas cabe cada um fazer a sua parte. Realizar o que cabe a outra parte para algo está de pé no relacionamento será um excesso por conta de uma falta.

Aí será o momento do diálogo e do fortalecimento do amor próprio.

Continuar Leitura
Advertisement  
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Advertisement

Facebook

Advertisement

Mais acessadas