Connect with us

ARTIGOS

Sonhar com quem já morreu segundo o Espiritismo

Published

on

espiritismo sonhar com quem morreu

De acordo com o Espiritismo, realmente existe um significado em sonhar com quem já morreu? Ou podem ser apenas lembranças do ente querido pelos sentimentos da saudade e do amor? Em que situação geralmente podem ocorrer os encontros com os entes queridos? Ou seja, nós que vamos até eles ou precisamos esperar o contato?

Os três tipos de sonhos segundo o Espiritismo

De acordo com Allan Kardec, existe três tipos de sonhos: a experiência orgânica, de lembranças e o espiritual. O psicanalista André Marouço, da TV Mundo Maior, explica que o terceiro ‘é realmente resultado daquilo que se deu no desprendimento do espírito do corpo’.

Ou seja, pode ser questões do passado, da vida presente ou das passadas. ‘Ou de fato um encontro que ocorreu na Espiritualidade, quando eles vieram nos visitar ou fomos até o lugar que eles se encontram’.

A visita dos espíritos dos nossos entes queridos

‘Assim como ele nos visita, nós também os visitamos. Especialmente no momento que dormimos, existe a emancipação da alma. Ou seja, o espírito se desprende do corpo, ligado pelo cordão fluídico. Assim, podemos ir até as colônias, como elas também podem vir’, observa o psicanalista André Marouço, da TV Mundo Maior.

Podemos sentir uma falta inexplicável e, na verdade, é de um irmão espiritual que não está encarnado, vivendo conosco. Por isso, na visão espírita, Deus permite a visita de pessoas que se amam, mesmo que em planos diferentes.

Mas não necessariamente se visualizamos o ente querido durante o sonho, o encontro de fato aconteceu. ‘Podemos ter acessado arquivos do inconsciente que nos fazem lembrar de acontecimentos com pessoas que amamos’. Por isso, a lucidez no nosso pensamento para a melhor avaliação.

Posso evocar os espíritos de entes queridos para me para me ajudar?

‘Os espíritos pode nos visitar para nos encorajar em um momento de falta de esperança. Ou seja, quando não estamos encontrando uma solução para os nossos dramas. Aí vem esse espírito familiar nos dar uma palavra de apoio’, observa o piscanalista André Marouço, da TV Mundo Maior.

Entretanto, o espírito pode estar também em um estado de sofrimento. ‘Ele pode se aproximar e eu vou sofrer com as interferências psíquicas dessa criatura’, completa.

Continuar Leitura
Advertisement  
Advertisement

Facebook

Advertisement

Mais acessadas