Connect with us

ARTIGOS

Como a filha de Nicette Bruno orou antes da partida da mãe

Published

on

nicette bruno

Em entrevista ao jornal Extra, a filha de Nicette Bruno, também atriz Beth Goulart, sempre trata da mãe no presente. Ou seja, reconhece que ela continua vivendo, agora no plano espiritual. Ela revela que Nicette refez o jardim de casa durante a pandemia. ‘Eu sei que muito da energia dela está lá’. Ela desencarnou no domingo, 20 de dezembro, aos 87 anos, no Rio de Janeiro, de complicações em decorrência do Coronavírus.

‘Tenho certeza que ela está bem’, afirma filha de Nicette Bruno

‘Olha, durante essas orações pra mamãe, no início, eu falava: “Que Deus permita que a senhora tenha saúde, que possa retornar pra nós”. Mas, em algum momento, eu comecei a sentir que era uma escolha dela. Então, comecei a dizer: “Estamos abertos pro que a senhora quiser. Se preferir voltar, estamos aqui de braços abertos para ajudá-la em tudo, mas, se optar por seguir o caminho espiritual, vamos entender e aceitar’.

Ela afirmou ao Extra que ‘tenho certeza que ela está bem’.

Berço espírita da família de Nicette Bruno

Beth Goulart revela que a herança da Doutrina vem da bisavó, que era membro da Federação Espírita. ‘Nós encaramos a morte como um novo nascimento Se você pensar que a sua realidade fundamental é o espírito e a eternidade, entende que estamos aqui num fragmento, num momento, numa passagem. A vida é um processo de aprendizado’.

‘Na encarnação, você vai testar se aquilo que aprendeu realmente foi absorvido. Caso contrário, tem que “repetir o ano”. Preciso voltar pra aprender novamente “aquela matéria”. É um pouco assim, guardando as devidas proporções. Por isso que a gente usa essa imagem da escolaridade’.

Encontros com Chico Xavier

‘Pelo fato de termos uma família espírita, sabemos que existe este canal de comunicação. Então, da mesma forma que você ora para Deus, você pode mandar “recados” para uma pessoa amada. É claro que a gente não fica assim: “Ah, me ajuda, faz isso pra mim…” Não é essa a função’.

‘Aprendi isso com a minha mãe. Ela sempre orou muito, lia o evangelho pra nós… Era eu que a acompanhava, por exemplo, quando ela tinha encontros com (o médium) Chico Xavier. Tive o privilégio de conhecê-lo. Isso tudo me marcou, fortaleceu muito em mim a fé’.

Continuar Leitura
Advertisement  
Advertisement

Facebook

Advertisement

Mais acessadas